11 de abril de 2011

Modja, mbili, tatu...

contando com peter ooo'sagae 8/9


Modja, mbili, tatu...

Um, dois, três...
E, depois vêm muitos!
Elefantes, hipopótamos, gnus, zebras e leões que as crianças vão contando pelo caminho através da extensa planície protegida pelas montanhas azuis e distantes da Tanzânia. Para aprender a contar de 1 até 10 em swahili, a língua do povo Massai, o leitor encontra a companhia elegante de Arusha, Mwambe, o pequeno Bodru e seus amigos de nomes curiosos guiados pela simpática Tumpe e a paciente Zalira.

De Laurie Krebs, com ilustrações de Julia Cairns, UM SAFÁRI NA TANZÂNIA (Edições SM, 2007) é um bonito álbum que vai além de sua intenção didática ou informativa. Além de ensinar a contar, ou mesmo ajudar a aprender ou fixar a sequência dos números, o livro oferece o começo de uma viagem à cultura nômade dos Massai, nas cores contrastantes que o olhar turista acolheu da beleza negra das crianças e mulheres de cabeças raspadas, com brincos e pingentes de miçangas vivas, as roupas tingidas do vermelho mais rubro ao sol — e, contando um, dois, três e muitos, estabelecemos contato também com as paisagens do Serengeti, a flora e principalmente a fauna da África Oriental. Do texto à ilustração, apesar da finalidade expressa, o trabalho é marcado pelo aspecto estético e pela ambientação lúdica que se desdobra a cada página.

Traduzido a quatro mãos por Cláudia R. Mesquita e Heitor Ferraz Mello, o texto é apresentado na forma de uma lengalenga com estrofes de quatro versos, principiando pelo bordão “Fomos fazer um safári” e rimando, então, os versos pares. Como nos jogos mnemônicos, a rima empurra a memória dos mais novos a “descobrir” qual será o próximo número. A cada algarismo, são apresentados um personagem e um animal diferentes — daí que os olhos procuram pela ilustração quem é Akeyla, onde está Watende, se Doto é um menino ou uma menina, se realmente são oito javalis que passam elétricos diante da unida trupe. Realmente, são os detalhes que vamos apontando com os dedos que ampliam as relações entre o jogo e a aprendizagem.

O livro se completa com algumas páginas informativas sobre os animais da Tanzânia, a cultura do povo Massai, o significado dos nomes swahilis, um breve histórico e a localização geográfica do país. Enfim, nane, tisa, kumi... Oito, nove, dez! Mas, quem será o décimo primeiro personagem que aparece neste livro?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores