16 de janeiro de 2015

o passado e os nossos dias

Um novo ano + poético para você!



Olhar para a paisagem e fazer-se estrada. Bem assim, Angela Leite de Souza cruzou o tempo e os lugares habitados para fazer, escrever e ilustrar, entregar aos leitores UM VERSO A CADA PASSO: a poesia na Estrada Real (Autêntica, 2009). Já o título refere-se aos vários caminhos que uniam as antigas terras de Minas Gerais aos portos de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia a fim de levar ouro e diamantes rumo a Portugal à época do Brasil Colônia.

Ao pé do caminho, a autora vai cruzando as histórias de que se lembram os homens, dos cascos de boi quanto à ferrovia, as cartas e os sacos de sal, os assobios e os cheiros do mato, os sinos das cidades, a geografia e a múltipla ocupação, as casas que vão ficando plantadas próximas aos rios, e as freguesias, e as fazendas, os milagres e os mistérios, os nomes e as lendas de cada lugar...


Com função referencial e informativa, sem sombra de dúvida ou descanso, é poesia didática que traz notícias de longe e a linguagem de antanho, revelando em versos um pouco de antigos costumes e sua atualidade. O livro é essa espécie de museu vivo compartilhando a visão e o sonho dos exploradores, tropeiros, bandeirantes, brancos e negros na poesia da Estrada Real.
“Porém é certo
que há um feitiço
sob essas pedras
nesses portais
dentro dos templos
por entre os ouros
pelos beirais...
Por isso os nomes
e sua história
saem dos livros e por encanto
ficam tão vivos.”

 Esse  livro, conta Angela Leite de Souza, foi o resultado de cinco anos de pesquisa e trabalho - feitura dos poemas e depois ilustrá-los com a técnica que vem desenvolvendo desde 1994, com bordados e colagem em tecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores