16 de dezembro de 2015

Um pouco selvagem.

Peter On Instagram


Quase certo que as crianças sintam ter vindo de um lugar distante, ninguém se lembra exatamente, talvez uma floresta onde se aprendeu a falar com os corvos, a comer como um pequeno urso esfomeado e a rolar tal qual uma raposa na toca... Emily Hughes permite pensar quanto os adultos são animais estranhos, brincando com o conceito de SELVAGEM que pouco tem frequentado a literatura infantil brasileira. Ops! #pequenazahar (2015) #literaturainfantil #emilyhughes


É preciso olhar. O colecionador é quem vive preso às figuras do velho álbum de animais exóticos que cobiça, é quem vive. Preso ao grave reflexo de si em frente ao orgulhoso espelho. É preciso. Caçar e contar histórias, favorecer-se delas. Uma hora parte o homem, entretanto desperta o tigre da fotografia. O olhar que caça atravessa as sombras e as molduras do território livre da imagem, em seu enigma SELVAGEM #editoraglobal (2010) #livrodeimagem #rogermello


Literalmente, ONDE ESTÃO AS COISAS SELVAGENS. Não se faz aí uma pergunta, mas a afirmativa lembrança de que uma viva alegria existe dentro de nós. Vontade divina, instinto para ser grande... Talvez sob o domínio da imagem e uma imaginação pouco livre, as línguas neolatinas usaram compreender que as coisas remotas são *monstros*, talvez esquecidas do sentido puro do maravilhoso. Vamos deixar o rumor da festa começar. #mauricesendak (1963)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores