26 de julho de 2016

o estado das coisas

O'ABRE ASPAS


"Ainda era confuso o estado das coisas do mundo, no tempo remoto em que está história se passa. Não era raro defrontar-se com nomes, pensamentos, formas e instituições a que não correspondia nada de existente. E, por outro lado, o mundo pululava de objetos e faculdades, e pessoas que não possuíam nem nome nem distinção do restante. Era uma época em que a vontade e a obstinação de existir, de deixar marcas, de provocar atrito com tudo aquilo que existe, não era inteiramente usada, dado que muitos não faziam nada com isso -- por miséria ou ignorância ou porque tudo dava certo para eles do mesmo jeito -- e assim uma certa quantidade andava perdida no vazio." (Italo Calvino) O CAVALEIRO INEXISTENTE (1959) trad. Nilson Moulin: 1999 p. 35.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores